Excesso de informação por todos os poros

Não por acaso, estou digitando este post e ao mesmo tempo ouvindo a cobertura da BBC sobre o escândalo da Toyota. Além disso, tenho 7 janelas abertas no laptop e os telefones fixo e celular em cima da mesa. Isso porque acabo de fechar umas 5 janelas de notícias que já li, já dei uma olhada no Twitter, no Facebook e no Orkut, mandei e-mails... Como sou organizada (ou, pelo menos, tento seriamente) na mesa só há materiais relacionados ao trabalho.

Tenho vários leões para matar hoje, entre metas atingíveis e inatingíveis, mas que nem por isso me preocupam menos. Levanto e deito pensando no tanto de coisas que há para fazer, tarefas de manutenção e tarefas de conquista. Estamos sempre tentando manter terreno em alguns campos e ganhar terreno em outros. Nada está definitivamente conquistado: nem e muito menos nosso próprio conhecimento, ainda que arduamente conquistado.

Todo santo dia somos bombardeados não apenas com incontáveis informações mundiais, mas também com inúmeras informações e reviravoltas pessoais. As coisas não saem como planejado, as situações e pessoas mudam e cabe à você se adaptar. Tudo isso dá um trabalho dos infernos e talvez o mais difícil seja triar os temas por ordem de importância. Saber o que merece nossa atenção e quando. E importantíssimo: o que não merece um segundo sequer de consideração. E reconhecer que é humanamente impossível lidar com tudo, várias coisas vão ficar de fora. A menos que você esteja disposto a ficar enfartado, estafado e, last but not least, frustrado!


A tecnologia, supostamente criada pra facilitar as coisas, vem também infernizando muito a nossa vida. Antigamente tínhamos mais tempo para decantar decisões, agora estamos todos praticamente o tempo todo ao alcance de uma chamada de celular, de um SMS, de um e-mail. Smartphones e laptops conectados permanentemente à internet foram um golpe definitivo na possibilidade de se agir mais lentamente. É, não dá mais. Tempo para maturar é hoje artigo de luxo. Aliás, tempo, para o que quer que seja, é mesmo um artigo de luxo.

E a febre de informação, hein?! Temos que estar cientes do que se passa no mundo, na esquina, na economia e política mundiais, conhecer pelo nome todos os participantes do Big Brother 3.976 e saber o que aconteceu no capítulo de ontem da novela das oito. Fora isso temos dar conta de tarefas do cotidiano que exigem manutenção permanente, dar um gás na carreira e investir na vida social, familiar e afetiva. Tenho uma palavra final a dizer sobre o assunto: Ufa!!!

5 comentários :

Cristiana Soares disse...

ótimo texto! nada a acrescentar. só um grande UFA!

Fegalves disse...

Gostei muito desse post, me fez pensar. Mas por exemplo, sacanagens entre namorados entram nessa conta? Pq se uma amiga/amigo é sacana com o namorado(a), será que me sacaneará numa amizade? Significa uma falha de caráter? Fica a questão pra gente pensar.

No mais, concordo com você, às vezes a gente releva alguns sinais das pessoas com quem convivemos e, quando elas nos decepcionam, nos fazemos de surpresos.

Taimemoinonplus disse...

Fê:( acho que vc está comentando o post dos detalhes retumbantes)

Resposta 1- Pra mim, sacanagens entre namorados (suponho que vc esteja falando de traições e não de sexo selvagem... RS) entram na conta sim. Tudo entra: roubar no troco em 5 reais que seja,pegar coisas no supermercado e sair sem pagar, fazer gato da net, roubar pirulito de criança...assaltar banco, fazer desvio de milhões nas verbas da previdência, superfaturar despesas públicas....mas obviamente cada uma dessas coisas tem o seu peso próprio e deve ser avaliada caso a caso.

O cerne na questão: é a insensibilidade diante do sofrimento do outro ou do mal que possamos causar a terceiros. Esse fator pode ser comunicante para as outras áreas da vida sim.

No entanto, há pessoas que sacaneiam parceiros e, no entanto levam amizades super a sério, são de uma fidelidade canina aos amigos enqto traem o parceiro de mais variadas formas (não apenas sexual). Como tb há gente que sacaneia Deus e o mundo, mas pra eles família é sagrado! Por aí vai....Isso responde sua pergunta 2.

Também cabe ressaltar que acredito que as pessoas podem mudar a forma de agir ao longo da vida e se tornarem mais honestos (ou mais desonestos) a qualquer momento.

Resposta 3- Todos nós temos nossas falhas de caráter, santos/santas mesmo há bem poucos e provavelmente não vamos conseguir namorar nem virar amigo/a de nenhum/a porque geralmente são celibatários e de vida social restrita. Não vamos poder convidar os santos pra ir pra balada ou pra praia, e nem mesmo para discorrer sobre os problemas da existência humana.Os santos estão provavelmente numa hora dessas rezando pelos males do mundo ou socorrendo gente em catástrofe, não escrevendo blogs...rs

Traição é coisa muito relativa, as circunstâncias podem ter muitas atenuantes ou agravantes. Sempre precisamos ter em mente aquilo que falei lá em cima: a insensibilidade do autor com relação ao sofrimento ou prejuízo que pode causar ao próximo. Por exemplo, uma coisa é fulaninho ir fazer um curso de trabalho lá no Oiapoque por 6 meses e a namorada ficar no Rio.Lá, ele não agüenta e acaba pulando a cerca, mas tomando o cuidado de usar duas camisinhas pra evitar qq incidente. Isso é uma coisa. Outra coisa é ( atenção, caso real!!!!) o camarada ter 2 filhas, estar num relacionamento supostamente monogâmico há cerca de 10 anos, ir fazer um tratamento dentário e resolver trepar com a dentista sem se preocupar com nada, só com o próprio tesão.Resultado da brincadeira: fim do casamento e um filho com a dentista.Uma criança que, por desmiolamento absoluto dos pais, já nasceu numa situação esquisita.Traições podem ser sem maiores dramas que afetem o curso da vida da pessoas ou podem ter conseqüências bem drásticas para todos os envolvidos.

Outro dia peguei um taxi com esses motoristas que contam a vida toda deles pro passageiro e o cara estava com um drama: ele devia ter uns 60 anos, era casado há milênios, tinha filhas grandes... e estava tendo um caso com uma garota de uns 20 anos, filha do irmão da mulher dele! Imagina o rebuliço na família e como isso afeta profundamente todas as relações familiares! Agora vc me diga se traição é tudo igual... Podemos não ser santos em tempo integral com asinhas a auréolas, mas pra tudo tem limite!!! Ah, e não vamos nos esquecer dos amigos e amigas infiéis que ainda querem que a gente sirva pra acobertar seus casos, aí é flórida!

Fegalves disse...

Nossa, gata, a questão é mais complexa do que eu imaginava, haahhaa

e a história da dentista, comassim, Bial? A galera realmente não tem noção nenhuma. Pensa com a cabeça de baixo mesmo. Medo.

Canto do Dudu - Dudu Lopes disse...

Meu avô deve ter sido um homem a frente de seu tempo, lá no começo da década de 70, ele tinha o hábito diário de ver TV enquanto ouvia rádio, tocava cavaquinho e lia o Almanaque do Pensamento ou algum jornal... tudo isso ao mesmo tempo!

Beijos,
Dudu.