"Aparência & Conteúdo: da dificuldade de se encontrar ambos em harmonia e de como tudo o que é raro tem mais valor.”

Conversando com um amigo, à queima-roupa ele me atira essa pérola. Sou afortunada pois, além do Ivan Martins, tenho também amigos a me fornecer- mesmo que involuntariamente- material de trabalho!

Ele relata que terminou um namoro há 3 meses e, desde então, não achou ninguém que tivesse despertado seu interesse. Morando no Rio de Janeiro, ótima aparência e não-eremita, não consegui acreditar naquilo sem sobressalto.

“ Mas peraí - retruquei- “E aquelas meninas que estavam te 'dando mole'?”

“Ah, elas ATÉ QUE são legais”, mas nesse tempo não encontrei ninguém que me desse vontade de ligar, de ver, de chamar pro cinema, ninguém que me desse vontade de ir além de uma coisa de momento. Há a atração física, mas falta conteúdo.”

Fiquei estatelada por alguns instantes diante de tal declaração. Curioso como pode ser contundente ouvir de um jovem representante do sexo oposto- que normalmente temos a tendência de pensar se tratar de universo totalmente a parte, com questões tão radicalmente diferentes das nossas femininas- aquela verdade que muitas vezes constatei por prática ou observação alheia. No fundo era aquela mesmíssima mensagem, já ouvida ou sentida diversas vezes- só que dita de uma forma mais testosterônica. E isso me lembrou uma memorável frase- tanto hilária como dramática- dita por uma amiga- em tom de palhaçada- a um rapaz atraente que conheceu numa festa, após tentativas frustradas de estabelecer contato intelectual: “ Cala a boca e me beija!”

Eu, do lado progesterônico da força, mas também solteira há coincidentes 3 meses, com uma vida social bastante movimentada e uma aparência razoável, certamente também me lamento: por que infernos é tão difícil solucionar a equação que conjuga aparência e conteúdo?! Por que cargas d'água se pode trombar ao longo da vida pessoas que atraem nossos olhos como imãs ou com pessoas cuja conteúdo nos encante imensamente, mas por que desgraçadamente a conjugação de ambos no mesmo corpo é algo tão raro e imprevisível? E, quando você acha que finalmente deu uma sorte danada, descobre que a pessoa é comprometida, gay ou que simplesmente não está nem aí pra você, obrigada!?


Alguém com alguma hipótese satisfatória, favor clicar aí embaixo nos comentários. Contribuo modestamente com apenas um consolo para aguardarmos resignados e confiantes por uma próxima passagem do cometa Halley: “ TUDO O QUE É RARO TEM MAIS VALOR!”

6 comentários :

Valéria disse...

A velocidade das relações inter-pessoais é um resultado direto da relação de trocas(você me dá o que eu quero e eu retribuo),sempre existiu esse escambo sentimental e,sempre existirá....Aliar beleza(visual,subjetiva)com inteligência,"pele",humor,situação financeira,e infinitos outros fatores que são sorteados pelo destino depende da necessidade imediata dos interessados(vontade versus oportunidade).A continuidade desse encontro,sorteado pelo acaso vai depender apenas de tolerância bilateral.

Raphaela disse...

Ana, adorei o blog, nunca o tinha lido. Em relação a esse tema, sou da opinião que os verdadeiros encontros são raros e o importante é estar aberta e seguir tentando. Certas pessoas conjugam as duas coisas e são passageiras, outras não as conjugam tão bem mas, por um motivo ou outro, acabam se tornando importantes em nossas vidas.Então, vamos seguir tentando, né? beijos, Rapha

Taimemoinonplus disse...

Obrigada pelas contribuições! Never surrender!!! hehe ;-)

Alexandre disse...

Faço minhas as palavras da Valéria!

Taimemoinonplus disse...

Alexandre:

Nunca cesso de me surpreender com poder de concisão masculino! hehehe

O Surfista Nerd disse...

Ana, entendo perfeitamente seu amigo, simplesmente muito raro o encontro da boa aparência e conteúdo. Estou nessa fase "George Clooney" faz 2 anos. Recentemente publiquei em meu blog sobre um tema similar, veja se gosta:

http://surfistanerd.blogspot.com/2011/04/o-valor-de-ser-so.html

Parabens pelo Blog. bjo