Elegância além das aparências

Scott Schuman é um americano que treinou o olhar trabalhando por muitos anos no mundo da moda.Desde 2005 ele mantém um blog que virou referência mundial em moda e fotografia, o http://www.thesartorialist.blogspot.com/. A idéia é fotografar pessoas que encontra pelas ruas de Paris, Nova Iorque, Milão e por onde mais ele passe.( Recentemente esteve no Rio com a sua charmosa namorada francesa, Garance, durante a semana de moda carioca.)


Como está fortemente ligado ao mundo fashion, por formação e por relações pessoais e profissionais, muitos dos seus fotografados são, de uma forma ou outra, ligados à moda.No entanto, ele é perfeitamente capaz de fotografar pessoas a esmo, completos desconhecidos/as, desde que o impressionem por algum motivo visual ( geralmente um misto de indumentária, atitude, postura e expressão facial.) Seu olhar é preciso e geralmente, como todo bom fotógrafo, consegue captar o " algo mais" dos seus fotografados.Não faz distinção de sexo, idade e classe social.Embora muitas sejam produções certamente bastante caras, não exclui pessoas como, por exemplo, o motorista que o levou ao aeroporto em Nova Iorque, um homem negro que claramente não tinha gasto nenhuma fortuna nas roupas mas estava mui dignamente vestido e emanava uma aura de dignidade respeitável.


Ontem e hoje Scott escreveu em seu blog sobre a elegância, não a elegância mais óbvia da escolha acertada das roupas e acessórios adequados à situação e ao tipo físico, nem a elegância-postura, nem elegância-esbeltez, e muito menos a elegância-saber-qual-taça-de-vinho-usar-sem-titubear.Ele fala de um outro tipo de elegância, não a dos gestos-salamaleques ou aquela mais facilmente aprendida ( qdo há interesse) de puxar a cadeira para a mulher sentar, abrir a porta, etc...( Que são deleitáveis, certamente, mas lamentavelmente estão cada vez mais em desuso.Em parte talvez por culpa de nós próprias, mulheres ditas modernas, que, sem perceber, nem esperamos mais isso....já saímos abrindo a porta, chamando o garçom, sentando...e deixando o candidato a gentleman no vácuo...hehe).


Para ilustrar o tipo de elegância que ele apregoa, Scott cita um episódio de uma série de tv chamada Rock-30 ( sou completamente desligada dessas séries, nunca sequer tinha ouvido falar...).Jack e Liz vão jantar num restaurante chique.Quando chegam à mesa, Jack muda de lugar uma vela que se encontrava no centro da mesa e a coloca de lado.Na hora, Liz acha aquilo engraçado mas nem se dá ao trabalho de perguntar o motivo.Quando os pratos chegam e Liz, como sempre faz, resolve dar uma garfada no prato do Jack, finalmente se dá conta dos motivos do gesto inicialmente incompreendido: com a vela no lugar inicial, facilmente aconteceria um acidente.Jack era observador atento de Liz e com isso foi capaz de se antecipar aos fatos.Obviamente uma atitude dessas tem sobre qualquer mulher minimamente sensível um efeito devastadoramente positivo! Isso é exatamente o que, nos meus tempos de treinamento em hotelaria numa cadeia americana, se chamava de " Go the extra mile".É a capacidade antecipar necessidades, fazer o que ninguém espera e com isso encantar o cliente/parceiro/amigo/parente de forma indelével.


Scott continua o post dizendo que sua maior obsessão atual não é por sapatos mais bonitos- o que até seria compreensível para quem fotografa habitualmente homens italianos e seus sapatos fenomenais- nem mais ternos ou maiores conquistas profissionais e sim se tornar" cada vez mais encantador para minha encantadora mulher". Aiai...( suspiros...)


Nesse mundo moderno de tanta correria, tanta competição, tanto afobamento...é realmente fácil deixar se absorver muitas vezes pelas próprias questões e se deixar de prestar a devida atenção na pessoa ali na nossa frente ou do nosso lado.Nosso povo brasileiro pode ser muito sorridente e hospitaleiro, até prestativo, mas sutileza não costuma ser o nosso forte.Nisso admiro muito os franceses, sem generalizar obviamente, mas, na minha experiência pessoal é o povo- e isso inclui homens e mulheres- com maior teor de sutileza e elegância desse gênero.


Para ilustrar a questão, fui hospedada em Reims por um casal de franceses que não eram meus amigos pessoais.Eles me receberam de braços abertos, com uma delicadeza e consideração hors-concours, daquelas que por estas bandas tropicais normalmente só se dispensa às relações privilegiadíssimas.Muito me surpreendeu a atitude da mulher.Mesmo sabendo eu ser uma brasileira nascida e criada no Rio de Janeiro, safa, balzaquiana, com experiência de vida e viagens, fazendo meu " tour de France-solo" há meses e me virando com os dois pés nas costas...se aproximou de mim de forma afetuosa na manhã seguinte à minha chegada, qdo eu estava preparando minha mochila para um dia de descoberta da cidade, pegou minha mão e nela colocou 2 tickets de ônibus explicando, como se eu fosse uma menina de 15 anos frágil, delicada e inexperiente, que eu deveria usar um ticket para a ida à cidade e outro na volta pra casa após o meu dia de passeios, dando indicações precisas de que ônibus pegar, onde, os horários, etc- qdo eu não estava mais nem um pouco acostumada e nem esperando qualquer tipo de paparicação.Com essa, Pascale conseguiu não só " go the extra mile", mas me deixar com os olhos instantaneamente marejados.Touchée!

4 comentários :

Hoje Vou Assim disse...

Ana, há tanta gente metida a elegante e que na verdade não passa de fanfarronice pure.

Gestos genuínos assim mostram verdadeiramente quem é elegante e gentil. Linda a sua história pessoal!

Beijos, saudades.
Ana

Maria disse...

Concordo em genero, numero e grau.
Meu marido eh que precisava ler pra aprender um pouco dessa questao de "antecipar meus desejos', haha!
A verdadeira elegancia eh a elegancia da alma, quem ha de discordar??
Abcs

Taimemoinonplus disse...

Oi,xará! Pois é, com alguma informação de moda e senso de adequação dá pra pessoa se vestir direitinho...e isso tem seu valor, já dizia o antiquíssimo slogan da USTop: " O mundo trata melhor quem se veste bem".Uma temeridade achar que se pode socialmente prescindir desse primeiro impacto que uma elegância do vestuário pode garantir...mas sempre mantendo em mente que isso é apenas parte de uma questão relacional bem mais ampla.

Bjs

Ana disse...

Oiê! Eu vejo o blog dele todo dia... é ótimo. Adorei esse texto também... e confesso ter morrido de inveja da Garancé. ahah! Uma beijoca! Ana (do CS). :D